ÓH SÃO PEDRO DE MOEL ...
(Carlos Leite Ribeiro)
(Suspiros ao Luar)


Onde a Rainha Santa Isabel ...
Bordou sua mantilha ...
(És praia de maravilha !!! ...)


Há quanto tempo não tínhamos assim uma noite ! Não estamos em Janeiro nem em Agosto, mas o luar desta noite lhe faz inveja ! Parece dia, a estrada Marinha Grande - São Pedro de Moel (09 Km) enche-se de trânsito, pois todos queriam ver espectáculo natural que numa noite de luar São Pedro de Moel oferece a quem quer ver. É maravilhoso. Nestes noites, a Lua, a eterna cúmplice dos namorados esquece esta sua cumplicidade. Vê-se quase como se fosse dia. Cheguei a São Pedro, e logo me dirigi ao que chamamos a "varanda da esplanada". Que lindo panorama, de um lado os montes que em parte circundam a localidade; do outro lado a imensidão do Oceano Atlântico. As pessoas ficam com uma cor prateada (quase irreal), assim como os montes e até as águas atlânticas.
À minha memória vêm recordações que não as posso apagar da memória ...
Suspirei e desci as íngremes escadas que dão para a praia, onde, nas suas douradas areis estavam muitas pessoas, com os seus filhos, os pares de namorados; ao longe as luzes dos barquitos de pesca. Descalcei-me, atei os atacadores e coloquei os sapatos em volta do pescoço. Comecei a andar para o lado da piscina de água salgada. Quantas recordações ... Vou passar por onde durante alguns anos dei aulas de ginástica (completamente gratuitas) aos pequenos da Colónia Afonso Lopes Vieira (crianças dos 07 aos 11 anos – e a turma era de 60 alunos). Mais adiante encontrei um velho pescador que pescava de cana, o Sr. Quim, que ao ver-me logo gritou: "... bem me queria parecer que era você !... imaginei-o acompanhado pela D. Maria Corália ... santa senhora ainda hoje recordada por todos ... vocês sempre foram uns eternos namorados ... sempre entrelaçados um ao outro".
Já é tão difícil as recordações quanto mais falar nelas. Saí daquele lugar o mais depressa possível. Continuando a andar pela areia molhada, e já perto da piscina, veio-me à memória um facto passado há cerca de 21 anos. Eu e minha família passávamos a época de Verão em São Pedro, e quase todas as noites íamos dar o nosso passeio pela areia. Nessa noite, como habitualmente, bem agarrado a minha mulher, ao longe avistei meu filho mais novo (João), completamente envolvido com uma mocinha. Muito espantado, voltei-me para ela dizendo: - "Maria Corália, estás a ver o que eu estou a ver ? Não me digas que a "formiga já tem catarro" ...". Ela sorrindo, respondeu-me: -"Carlos, admira este lindo luar e este mar, olha como as águas estão prateadas, e deixa lá quem está !". Calmamente demos a volta para o regresso, onde eu continuei: - "Ainda se fosse o mais velho (Carlos Manuel) que já tem 16 anos, ainda vá lá, mas o João só tem 11". Apertando-me ainda mais de encontro a ela, sempre sorrindo, foi dizendo: - "É que o mais velho está em casa a fazer uns trabalhos escolares com fulana ...". Talvez fosse a primeira vez que me senti algo velho ! : - "Hummmm, estão este convite tão veemente formulado por ti para este passeio na areia ...". Aqui ela atirou uma enorme gargalhada: - "Carlos, quem sai aos seus não desnera ! Ou será que já não te lembras ?! ...".
Companheira formidável durante vinte anos, até que Deus a levou.
Dizia muitas vezes. – "O que ficar cá em casa, não vai ser servido fora". E tinha razão pois não havia forma de sobejar nada ...
Dei a volta para ouvir o murmúrio das ondas batendo nas rochas. Em São Pedro de Moel, as "sete ondas" tem som diferentes (tal como a música) tocando melodias maravilhosas, sempre ao nosso gosto musical e imaginação. Até com a maré a subir ou a descer, os sons são diferentes.
Suspirei e olhei para o relógio: marcava 04:30 horas da madrugada. Já tinha começado a cair uma neblina que depressa se transformou em nevoeiro (madrugada e manhã de nevoeiro, tarde de soalheiro). Era sinal que o maravilhoso espectáculo tinha terminado, e quem sabe, uma promessa de São Pedro que, por muitos e bons séculos o espectáculo continuará.
Suspirando, subi novamente as escadas que dão para a esplanada… por vezes, é bom recordar.
São Pedro de Moel, é a sala de vistas por excelência da Marinha Grande. Tenho sempre grande prazer de a mostrar a quem me visita.

 

 

Envie esta Página aos Amigos:

 

 

 

                                                                                                                        

Por favor, assine o Livro de Visitas:

 

 

 

 
Fundo Musical: Alguém me Disse -
 
Evaldo Gouveia e Jair Amorim
 
 
 
 

Todos os direitos reservados a Carlos Leite Ribeiro
Página criado por Iara Melo