João Carlos F. C. Sevivas

 

 

 
 

Já há muito que não íamos à Serra de Montemuro, onde se pode admirar paisagens e cenários de verdura dignas da tela de um grande pintor. Que prazer passearmos pelas suas encostas alcantiladas que conduzem ao vale, que é atravessado pelo lindo Rio Paiva. É um lugar idílico ! Pertence ao concelho de Castro Daire, que é envolvido pelos concelhos de Tarouca, Vila Nova de Paiva, Viseu, São Pedro do Sul, Arouca, Cinfães e Resende. Tínhamos combinado a entrevista com o escritor Dr. João Carlos Ferreira do Couto Sevivas  , no Restaurante Mirante, na linda cidade de Castro Daire. Um advogado e um jornalista tem sempre o tempo muito contado, e assim, logo que chegámos começamos com a entrevista: - João Carlos, como é que você se auto-define ... ?: - “Carlos, sou sensível, com bom raciocínio matemático, nervoso, com mau feitio mas com explosões de boa disposição”. – Qual a sua melhor qualidade, e, seu maior defeito ... ?: - “Respectivamente a franqueza e o de me isolar”. -
Seus passatempos preferidos ... ?:- “ Golfe, jogar xadrês ou damas”. – Qual a característica que mais aprecia em si ... ?: - “A capacidade de poder minorar o sofrimento”. – E nos outros ... ?: -“A sinceridade”. – Quando era criança ... ?: -“Vivi demasiadamente sozinho, filho único. Entusiasma-me o desafio, a competição e quando criança aprendi a brincar em que simultaneamente fazia, primeiro de Sporting, de Porto ou Benfica, por esta ordem, normalmente, sem batota, ganhava o segundo a que por certo não era alheio o meu amor clubístico”. – Qual foi o maior desafio que aceitou até hoje ... ?: - Ser candidato a presidente da Câmara Municipal nas primiras eleições autárquicas”. – De que mais se orgulha ... ?: -“Tentar viver”. – Que vício gostaria de não ter ... ?: - “Não ser obsessivo”. – O dia começa bem se ... ?: - “Sentir que a vida também amanheceu”. – Que influência tem em si a queda da folha e a chegada do frio ... ?: -“De aconchego e afinidade”. – Para o João Carlos, Deus existe ... ?: -“Se existisse apenas seria mau para a Humanidade. Deus deverá ser a própria vida e nunca um mero corpo existente”. – E se, de repente, lhe oferecerem flores, isso é ... ?: -“Prova que estou a viver um momento especial”.
Estava na hora do aperitivo pois a hora do almoço se aproximava, que foi aproveitado pelo nosso entrevistado para falar de Castro Daire :-“... o seu rio Paiva manancial de vida e lazer que as malditas mini – hídricas queriam destruir (e conseguiram à entrada de Castro Daire); a serra do Montemuro espaço de liberdade e acalmaria; apesar de muito desfigurada, com os edifícios por todo o lado, Castro Daires conserva o cheiro e a presença das coisas vivas e perenes. O seu nome lembra a valentia e ousadia dos povos lusitanos (castro) havendo quem o associe à circunstâcia de ser uma terra de bons ares (Daire). Terra das generosas trutas e do excelente salpicão e presunto, e da apetitosa castanha, aonde o cabrito assado, as couves com feijão, as migas são alimentos muito afamados. Do tempo dos primórdios da Nacionalidade, (séculos Xl e seguinte) existe a cerca de uns 05 Km, o Templo das Siglas assim designado pelo facto de cada pedra de que é construído Ter gravado um símbolo. Podemos falar, também a uns 03 Km da vila de Castro de Aire, no Mosteiro, de uma carvalha (árvore) que foi monumento nacional, ou da pedra de Lamas que tanto tem intrigado os historiadores pela escrita aí gravada”. Entretanto chegou o almoço: um saboroso cabrito assado no forno com batatas pequeninas e muito molho, migas e tudo bem regado pelo afamado, perfumado e gostoso vinho tinto daquela região. Devido às nossas agendas carregadas de assuntos e não dar muito tempo de folga, a entrevista teve de continuar: - João Carlos, qual a personagem que mais admira ... ?: -“Nenhuma. Personalidade admiro Jesus Cristo”. – Uma imagem do passado que não quer esquecer no futuro ... ?: -“O primeiro beijo”. – Qual o cúmulo da beleza, e, da fealdade ... ?: - “Da beleza uma mulher tão bela por fora como por dentro; fealdade, uma bela mulher perversa”. O arrependimento mata ... ?: -“Vai desgastando”. Como vai de amores ...?: -“Já passei essa fase”. – Que género de filme daria sua vida ... ?: - “Uma comédia”. – O que é para você o termo Esoterismo ... ?: -“Uma palavra que encerra muita verdade e alguma mentira e maldade”. – Acredita na reencarnação ... ?: -“É um dos temas em que continuo a estudar. Tudo me sugere, porém, que o nosso cérebro, enfim, o nosso corpo, tem potencialidades que a ser reveladas permitirão conviver com uma certeza de vida contínua. Vivemos um período que poderia designar de primórdios do ser, uma espécie de pré-história do ser. Nunca nos devemos esquecer que 2000 anos a partir de Cristo é uma simples linha no livro da Humanidade muito extenso e que falta ler”. – Acredita em fantasmas ou em “almas do outro mundo” ... ?: -“Transcreve-se a resposta anterior. A dicotomia simplista do sim ou não revelaria crendice doentia ou falta de informação sobre realidades indesmentíveis. Temos de percorrer ainda um longo caminha de preparação vivencial até podermos encarar estes temas sem o medo e as crenças que nos cegam”. – O Imaginário será um sonho da realidade ... ?: -“O Imaginário tem a sua própria essência faz parte da vida do homem como a necessidade de comer ou beber”. – Acredita em histórias fantásticas ... ?: -“Todas as histórias têm o seu cunho fantástico, dependendo sempre muito de quem as vive. Eu acredito, especialmente, na vivência fantástica das pessoas que viveram essas histórias”. – Para o João Carlos, a cultura será um botija de oxigénio ...?: - “E o próprio oxigénio”. – “Não. É o próprio oxigénio”. – Que livro anda a ler ... ?: - “Poetas Espanhóis do Século de Ouro”. – Autores e livros preferidos ... ?: - Hermingwai, Fernando Pessoa, Eça de Queirós, Jack London , “O Lobo do Mar”, etc”. Música e autores preferidos ... ?: - “Beethoven, Schubert, Brahms, Creadence Clearwater Revial, Leo Sayer, Rolling Stones, Fausto, Banda de Lá, Zeca Afonso, Sérgio Godinho, Brigada Vitor Jara, e poucos outros”.
- E sua obra literária ... ?: - “Flor de Abril (1989) -;- Teatro (1990) -;- “Para Ti” (poesia) e “Peixinho Solitário” (conto) – 1991 -;- “Fim do Mal” (poesia) 1992 -;- “Os Últimos Momentos de uma Mentira” (teatro) 1993 -;- “O Grito” (poesia). Em Junho próximo será lançado o livro “Os Calos da Alma” da Editorial Minerva.
E assim falámos de: JOÃO CARLOS FERREIRA DO COUTO SEVIVAS
Nascido em 08 de Agosto de 1954. Advogado. À guisa de despedida nos disse: -“ Aquilo fundamentalmente que urge acreditar no meu ponto de vista é: Temos imperiosa necessidade de deixar apenas de existir, isto é andarmos a gastar os anos, sem qualquer objectivo a não ser dormir acordado, como se tivessemos já garantida a eternidade para quando nos apetecesse começarmos, então, a viver. Viver significa estar e crescer a todo o momento; não sermos bêbados à noite, engravatados de sumo de laranja de dia, machões na cama e sem tomates na procura do que, o nosso instinto que existe e é importante nos impele, para a verdade, para a conquista do que sentimos ser o bem. Cada eventual renúncia ao prazer imediato e sem grandeza dar-nos-á o dobro da confiança, de força para evoluir pois esse quer queiramos quer não é o nosso forçoso destino, sem coacção, pois só com vontade se vence a batalha, tam como as plantas, os peixes, todos os seres vivos que ao longo de centenas, milhares e milhões de anos nos põem à frente dos olhos provas de que a evolução representa a grande verdade que temos de respeitar”.
(Daniel Gouveia (Abril 2002) Prefácio do seu novo livro "Vertigens de Lua Cheia" : - (...) Nas poucas vezes em que fala de si, João Sevivas não se coloca no pedestal que os poetas tanto gostam de ocupar, como se fossem o centro do universo, mas como alguém que nos mostra e ajuda a revelar parcelas desse mesmo universo. Não apenas o dele, mas o de todos nós. (...)


"O que abre a mão para receber
Muito mais do que deu
Apenas pretende vender
O que nunca foi seu

Vejam o religioso
Que cumpre mandamentos
Para comprar a vida eterna
É muito mais perigoso
Que o mercador de taberna
A pedir bons pagamentos
Por reles mercadoria

Antes ateu

Mas sem hipocrisia".

Formato de entrevista virtual de Carlos Leite Ribeiro – Marinha Grande - Portugal

 
 

 

Envie esta Página aos Amigos:

 

 

                                      

 

 

Por favor, assine o Livro de Visitas:

 

 

 

 

Todos os direitos reservados a Carlos Leite Ribeiro
Página criado por Iara Melo
http://www.iaramelo.com