Ivo Gomes de Oliveira

 

 

 
 

Ainda em Blumenau, no final do IIIº Encontro do Portal CEN – “Cá Estamos Nós”, combinámos esta entrevista com . Ivo Gomes de Oliveira. Marcámos a hora e o dia em que o entrevistado me ia buscar a Ratones (Florianópolis) a casa do nosso comum amigo Luiz Eduardo Caminha.
Quando iniciámos a marcha, perguntei ao Ivo Gomes:
 
CEN: - Pode falar-me um pouco da terra onde mora ?
Ivo: - Pois não, Carlos. Moro em Itapema, Estado de Santa Catarina, desde o ano de 1999. Itapema dedica-se ao turismo durante o ano inteiro. Situada em um dos trechos mais bonitos do litoral catarinense, tem nas praias e nas atividades náuticas seus maiores atrativos. De todas as praias de Itapema, a maior e a mais famosa é a Meia Praia, onde fixei residência com a minha família. A Praia do Cabeço é a que tem as melhores ondas para o surfe; o Canto da Praia, reduto dos pescadores; a Praia do Estaleiro e a Praia da Ilhota, ainda agreste, de mar aberto e ondas fortes. Há ainda a Praia do Costão, muito bonita, e a Praia de Itapema, muito freqüentada e onde são realizados eventos esportivos. Itapema localiza-se na beira da BR-101, em uma baía com 7 km. de orla marítima cercada por ramificações da Serra do Mar; vizinha de Balneário Camboriú, a praia mais movimentada do sul do país; distante pouco mais de meia hora de Florianópolis, a bela capital catarinense. O povoamento de Itapema iniciou-se no ano de 1748, com a vinda de 461 imigrantes açorianos, dos quais a cidade herdou o linguajar, as crenças, o gosto pela música, o folclore e a conduta ordeira e pacífica. Itapema pertenceu a Camboriú e Porto Belo até ser emancipada, em 1962. Hoje a sua população gira em torno de 30.000 moradores fixos e cerca de 200.000 habitantes no período de veraneio quando aqui aportam veranistas de todos os recantos do país, da Argentina, do Uruguai e do Chile.
 
CEN: - A viagem está sendo muito agradável, Como faltam ainda alguns quilómetros para chegarmos a Itapema, vamos aproveitar para iniciar a entrevista ? Ivo, qual a sua ocupação profissional ?
Ivo: - Sua ocupação profissional:
Bancário aposentado. Fui funcionário do Banco do Brasil por 24 anos, tendo exercido a função de gerente geral de agências por oito anos. Também após a aposentadoria em 1994, exerci as atividades de representante comercial e corretor de imóveis. Atualmente apenas escrevo alguns modestos poemas e acabo de matricular-me no Curso de Licenciatura em Letras – Língua Portuguesa e Respectiva Literatura, do Centro Universitário Leonardo da Vinci.
 
CEN: - Por falar em Língua Portuguesa e Literatura, fale-nos da sua obra literária?
Ivo: - Muito humilde. Alguns poemas ginasianos.
Amor, Singelo Amor!  Poemas, 120 pag., Edição independente, 2002
Participações em antologias:
2005 – SEB – Um Rio de Letras Vol. II, Ed. Nova Letra
2006 – SEB – Um Rio de Letras Vol. III, Ed. Nova Letra
2008 – III Antologia do Portal CEN, Ed. Nova Letra.
 
CEN: - Tem Home Page?
Ivo: - Ainda não possuo.
 
CEN: - Para o Ivo, a cultura será uma botija de oxigénio ?
Ivo: - A cultura é uma grande botija de oxigênio, indispensável à evolução do mundo em que vivemos. É´ o suprimento do puro e bom ar que vivifica o ser humano nas suas virtudes.
 
CEN: - O Imaginário será um sonho da realidade ?
Ivo: - O Imaginário é um sonho da realidade distante. Que seria do escritor, poeta, artista, gênio ou cientista sem o imaginário ou a imaginação?
 
CEN: - Que livro anda a ler ?
Ivo: - Estou lendo nestes dias, A REPÚBLICA, de Platão e A ARTE DE ESCREVER, de Arthur Schopenhauer.
 
CEN: - Autores e Livros preferidos ?
Ivo: - São muitos. Cito alguns: Manuel Maria Barbosa Du Bocage, José Maria Eça de Queirós, Fernando Antônio Nogueira Pessoa, Antônio Gonçalves Dias, Casimiro José Marques de Abreu, Antônio Frederico de Castro Alves, José Martiniano de Alencar, Joaquim Maria Machado de Assis, João da Cruz e Souza, Manuel Carneiro de Souza Bandeira Filho, Cassiano Ricardo, Érico Veríssimo, Luiz Fernando Veríssimo, Paulo Santana, entre outros. Os livros preferidos, ou melhor, os livros que jamais vou esquecer tê-los lido são os seguintes: A Divina Comédia, de Dante Alighieri; Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis e o livro de poemas de Cassiano Ricardo, Martim Cererê. 
 
CEN: - E música e autores preferidos ?
Ivo: - Sinceramente gosto de todos os gêneros musicais, com exceção desses que andam por ai somente fazendo barulho. Tenho preferência por música clássica e pela musica latino- americana. Aprecio muito a musica e a poesia regionalista do Rio Grande do Sul.  Não tenho preferência por autores musicais.
 
CEN: - O filme comercial que mais gostou ?
Ivo: - Impossível de dizer. Nunca me liguei a filmes comerciais. Não sou consumista e procuro não me envolver com a publicidade, seja qual for o produto.
 
CEN: - Qual a sua melhor qualidade, e, seu maior defeito ?
Ivo: - Qualidade, A honestidade. Procuro ser digno da confiança dos que me cercam e dos que comigo convivem. Defeito, Falar o que penso. Ás vezes ofendo interlocutores. Nem tudo o que se pensa deve ser dito, mas muitas vezes esqueço-me do dito popular: “Em boca fechada não entra mosca” .
 
CEN: - Seus passatempos preferidos ?
Ivo: - Ler, caminhar na praia, jogar cartas e dados com os amigos, freqüentar um barzinho.
 
Quando chegámos a Itapema, depois de uma breve volta pela bela cidade, sentamo-nos numa esplanada na Praça da Paz, onde continuámos a entrevista.
 
CEN: - Qual foi o maior desafio que aceitou até hoje ?
Ivo: - Fundar uma loja maçônica numa cidadezinha do interior do Rio Grande do Sul, onde a maçonaria era considerada  “ coisa do diabo” 
 
CEN: - O que é para você o termo esoterismo ?
Ivo: - O termo “Esoterismo” diz respeito à doutrina da tradição oculta, fazendo escola, dentro de cada movimento espiritualista. Já li a obra “A Doutrina Secreta”, síntese da ciência, da religião e da filosofia, escrita por Helena Petrovna Blavatsky, impressa em 1888 e traduzida em seis volumes no ano de 1969 para a língua portuguesa. É esta obra uma corrente filosófica denominada Esoterismo, disseminada internacionalmente e que no Brasil tem como expoente a AMORC, com sede em Curitiba, Estado do Paraná.
 
CEN: - Acredita em histórias fantásticas ?
Ivo: - Não acredito, porém delicio-me com elas.
 
CEN: - E em fantasmas ou em “almas do outro mundo” ?
Ivo: - Acredito sim, mas não da forma simplista que muitos vêem. Fantasmas são espíritos materializados em dado momento. “Almas do outro mundo” não são do outro mundo, são espíritos desencarnados que ainda permanecem vinculados por alguma razão a este mundo terreno. Tanto “fantasmas” ou “almas do outro mundo” podem ser vistos por pessoas sensitivas.  
 
CEN: - Acredita na reencarnação ?
Ivo: - Sim, acredito e considero que é a maneira mais condizente com a Justiça Divina para o aprimoramento progressivo da humanidade.
 
CEN: - Para o Ivo, Deus existe ?
Ivo: - Sim, Deus existe. É a inteligência suprema, causa primeira de todas as coisas.
 
Entretanto, tinha chegado a hora do almoço. Fomos até à Meia Praia e na Avª. Neneu Ramos almoçámos np Queops Restaurante Pizzaria., onde encomendámos file de linguado. Enquanto esperávamos pela refeição, o nosso entrevistado foi-nos falando das belezas da terra onde mora.
Ivo: - Em Itapema, na parte mais antiga, há diversas construções da época da colonização açoriana, com peças amplas, paredes de pedra, pé direito alto, portas em madeira maciça e janelas retangulares ou ovaladas no andar superior. A cultura açoriana está presente também no modo de vida dos moradores, como por exemplo, a pesca-de-arrastão, meio de subsistência de alguns pescadores. A atividade concentra-se no Canto da Praia, aonde ainda hoje se pode observar as redes sendo retiradas do mar, carregadas de peixes. Ao passearmos pela Praça da Paz vamos lá encontrar uma concha acústica onde, podemos conferir diversas manifestações artísticas e também nas proximidades passear na Ponte dos Suspiros onde se tem uma vista fantástica da flora local. Itapema não para de crescer e a Meia Praia é o local preferido pelos turistas e pessoas que desejam melhor qualidade de vida e aqui fixam residência. 
 
Como a refeição estava um pouco atrasada, aproveitei para lhe fazer mais umas perguntas.
 
CEN: - Como vai de amores ?
Ivo: - Muito bem. Vivo há 36 anos com a Maria Ignês que muito me auxilia nos entraves da vida. Possuímos três filhos, Fabiana, Adriano e Fabrício, frutos do nosso enlace e uma neta, a Sofia, filha da Fabiana e do Guilherme (genro), que completa a nossa vivência familiar.
 
CEN: - De que mais se orgulha ?
Ivo: - Dos meus amigos
 
CEN: - Qual a personagem que mais admira ?
Ivo: - Senador Pedro Simon
 
CEN: - Uma imagem do passado que não quer esquecer no futuro ?
Ivo: -  Minha mãe
 
CEN: - Quando o Ivo era criança ?
Ivo: -
Ah, quando criança...
Parafraseio Casemiro de Abreu:
“- Oh! Que saudades que tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais!
Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
À sombra das bananeiras,
Debaixo dos laranjais.
 
Como são belos os dias
Do despontar da existência!
-Respira a alma inocência
Como perfumes a flor;
O mar é – lago sereno,
O céu – um manto azulado,
O mundo – um sonho dourado,
A vida – um hino de amor!”
 
 
Terminada a refeição, rumámos até uma esplanada do lindo local, Canto de Praia, onde terminámos a entrevista.
 
CEN: - Para o Ivo, o dia começa bem, se … ?
Ivo: - O dia começa bem se estamos de bem com a vida e com as pessoas próximas.
 
CEN: - Que influência tem em si a queda da folha e a chegada do frio ?
Ivo: - Gosto de observar a natureza quando das mudanças climáticas. Há uma interligação do ser humano com a paisagem porque ambos fazemos parte da natureza. Sinto na queda da folha e a chegada do frio o momento da renovação da vida. Morre a folha que já cumpriu o seu tempo para o renascimento, na próxima estação, de outras novas folhas mais belas e coloridas, assim também acontece com o calor que cede espaço para o frio e a neblina, voltando no seu devido tempo, com mais luz e aquecimento.
 
CEN: - Para si, qual o cúmulo da beleza, e, também da fealdade ?
Ivo: - Beleza, uma rosa. Grande quantidade de pétalas sobrepostas. Fealdade, a falta de dignidade de muitos dos nossos governantes.
 
CEN: - Qual a característica que mais aprecia em si, e, também nos outros ?
Ivo: - Em mim, a sinceridade: Nos outros, a gentileza. Uma pessoa pode ter muitas virtudes, mas é verdadeiramente bem quista quando possui delicadeza, educação, elegância e amabilidade.
 
CEN: - Que vício gostaria de não ter ?
Ivo: - Gostaria de não possuir vício. Considero o egoísmo o vício mais prejudicial ao ser humano porque é dele que deriva todo o mal. Procuro educar-me para livrar-me do egoísmo.
 
CEN: - A arrependimento mata ?
Ivo: - Sim, o arrependimento mata. Toda a vez que se faz algo errado perde-se um bom momento da vida.
 
CEN: - As piadas às louras são injustas ?
Ivo: - Sim, as piadas às louras são injustas como também são injustas todas as piadas com caráter depreciativo às pessoas. 
 
CEN – Ivo, como se auto-define ?
Ivo: - Um rústico à procura da perfeição. Sei que estou muito distante dela, mas creio que em sucessivas reencarnações dentro de alguns milênios lá chegarei.
 
CEN: - Para terminar: Que género de filme daria a sua vida ?
Ivo: - Uma comédia.
 
E assim, falámos de …
 
IVO GOMES de OLIVEIRA
Bancário Aposentado
Nascido no dia 1º de Outubro de 1949
 
NOVO CÉU - (IGdeOL)
 
Na Primavera alvissareira do infinito
Renovam-se os versos que escrevi contente
E um jardim florido de vivas letras
Materializa a imagem que me vem à mente.
 
Sou velho escriba lançado ao lago ardente
De um inferno infesto de enxofre e fogo
Para morrer junto aos rústicos e antigos textos
E renascer nas letras de um poema novo.
 
Assim, debruço-me, dedicado e atento,
A registrar na lousa sagrada dos meus dias
Os sinais expressivos deste bom alento.
 
E a visão apocalíptica de um novo tempo
Transforma as dores da morte em alegrias
E a sede de beleza em fonte de alimento!
 
Ivo Gomes de Oliveira (IGdeOL)
Itapema, 11 de julho de 2008

Formato de entrevista virtual de Carlos Leite Ribeiro – Marinha Grande - Portugal

 
 

 

Envie esta Página aos Amigos:

 

 

                                      

 

 

Por favor, assine o Livro de Visitas:

 

 

 

 

Todos os direitos reservados a Carlos Leite Ribeiro
Página criado por Iara Melo
http://www.iaramelo.com