Humberto Veríssimo Soares Santa
 
 

 
Sesimbra ! Há quantos anos não íamos lá. Quando combinámos a entrevista, com o nosso amigo HUMBERTO VERÍSSIMO SOARES SANTA, foi como um despertar de gratas recordações daquela terra que, no dizer de Mestre Xavier Fernandes: -“Seu nome é de origem greco-latina, que no século Xlll se escrevia Sisimbria, a que se seguiram formas corrompidas: Cesimbra, Cezimbra e Cizimbra. Não há dúvida sobre a forma exacta, que é Sesimbra, pois o étimo está em sisymbrium nome de determinadas espécies vegetais, além de que, num foral de 1201, o vocábulo aparece repetidas vezes escrito com “S” na primeira e segunda sílabas”.
Sesimbra ... A antiguidade e continuidade da ocupação humana do actual concelho de Sesimbra é atestada por numerosos vestígios desde a Pré-História, documentando em particular, a presença de romanos e muçulmanos. Foi em 1165 que as tropas comandadas pelo 1º rei de Portugal, D. Afonso Henriques tomaram aos mouros o Castelo, centro da povoação que vivia então de costas viradas para o mar. Abandonada ante a avançada do árabes em 1191, foi reconquistada por D. Sancho l. Em 1236, foi doada aos Cavaleiros da Ordem de Santiago que intensificaram os esforços para a repovoar, concedendo privilégios aos pescadores e albergando, com imunidade, criminosos e foragidos de outras regiões. A póvoa marítima foi-se então desenvolvendo, enquanto diminuiu o povoamento no alto do monte. Foi sempre um centro piscatório de notável importância, esta terra do Distrito de Setúbal.
Combinámos o encontro junto ao Forte de Santiago. Chegámos antes da hora marcada para uma visita e recordar velhos tempos junto àquela antiga fortaleza, que conserva a residência do governador, a capela, o paiol, as cisternas e as masmorras. No pátio existe ainda uma pintura de Santiago investindo a espada sobre os castelhanos e no lado Norte do forte ainda existe a ala onde veraneavam os historicamente chamados “Meninos de Palhavã, filhos bastardos de D. João V. Estes “Meninos” viviam em Lisboa, no Palácio de Palhavã, onde está hoje a Embaixada de Espanha ...
Tão absortos estávamos nos nossos pensamentos que quando uma voz nos perguntou - “Você é que o Carlos do “Cá estamos Nós”? – quase que demos um pulo. Depois da praxe das apresentações e de algumas palavras de circunstância, começámos a entrevista: - Humberto Santa, como é que você se auto-define ... ?: -“Carlos, alguém que se orgulha do seu percurso”. – De que mais se orgulha ... ?: -“Da família”. – Uma imagem do passado que não quer esquecer no futuro ... ?: -“A ingenuidade dos meus dias de adolescente”. – Quando você era criança ... ?: -“Gostava de jogos e leitura”. – Como vai de amores ... ?: -“Casado há muito com uma mulher com o nome de flor (Margarida)”. – O dia começa bem se ... ?: -“Ver um sorriso no espelho que reflecte a sua imagem”. – Que influência tem em si a queda da folha e a chegada do frio ... ?: -“Mais um outono na vida, que urge ultrapassar”. – Para o Humberto Deus existe ... ?: -“Sim. Algures num planeta distante onde fala o targum = (Aramaico). Como prova junto o poema em que relato o pré-nascimento do meu neto mais novo Miguel Gonçalo”. – Que vício gostaria de não ter ... ?: -“Todos”. – Qual o cúmulo da beleza, e, da fealdade ... ?: -“Beleza, a mãe amamentando o seu bébé; fealdade, a alegria alarve do caçador de troféus ao ferir um animal”. – As piadas às louras são injustas ... ?: -“As piadas não têm justiça, têm graça”.
– O arrependimento mata ... ?: -“Não mata mas dói”. – Qual foi o maior desafio que aceitou até hoje ... ?: -“Editar um livro”. – Seus passatempos preferidos ... ?: -“Escrita, desenho, pintura e trabalhos manuais”. – Qual a característica que mais aprecia em si, e, nos outros ... ?: -“Em mim, a persistência; nos outros, a inteligência”. – Qual a sua melhor qualidade, e, seu maior defeito ... ?: -“Qualidade ... não sei se terei alguma; defeito, são tantos que não consigo hierarquizá-los”. – E se, de repente, lhe oferecerem flores, isso é ... ?: -“O carinho de alguém que quer alimentar o meu ego”.
Não para alimentar os nossos egos, mas sim, os nossos estômagos, fomos até à Quinta do Conde, ao Restaurante “A Charrete”, comer uma especialidade: “Arroz de Tamboril”; é confeccionado e servido à mesa num (tacho) recipiente de barro, sempre com grandes camarões por cima do arroz que ainda vem a ferver. É uma delícia ! Excepcionalmente, o nosso entrevistado bebeu um vinho moscatel da região (Palmela), bem aberto e de paladar suave.
Durante a refeição, o Humberto Santa foi falando com entusiasmo e carinho da “sua” Sesimbra: -“ O Castelo foi conquistado aos mouros em 1165 e reconquistado em 1200. A Igreja Matriz foi construída em 1553, tem um altar em talha dourada do século XVll; A Igreja Nossa Senhora da Misericórdia, é do século XVl, com altar, telas e retábulo do século XVll; Igreja de Santa Maria do Castelo, século Xll, com paredes revestidas a azulejo do século XVlll, escultura francesa do século XlV; Igreja Nossa Senhora de Alfarim, século XVll; Capela de São Sebastião, século XV; Capela de Santa Ana, século XV; Arco quinhentista frontal de azulejos do século XVll e esculturas de pedra século XVl; Capela do espírito Santo dos Mariantes, século XV; o maravilhoso Santuário do Cabo Espichel, século XVlll; Fortaleza de São Tiago, construção de 1648; Forte de São Teodósio, edificado em 1652; Palácio de Calhariz, século XVll; etc.”.
No final do almoço, já tomando café, continuámos a entrevista: -“Humberto Santa, o que é para você o termo Esoterismo ... ?: -“O sonho de muitos pesadelos”. – Acredita na reencarnação ... ?: -“Não, acredito na vida espiritual”. Acredita em fantasmas ou em “almas do outro mundo” ... ?: -“Não mas acredito no espírito da vida”. –O Imaginário será um sonho da realidade ... ?: -“É a viagem ao interior de nós próprios”. – Acredita em histórias fantásticas ... ?: -“Depende da forma, para quem e para que fim são contadas”. – Qual a personagem que mais admira ... ?: -“Ghandi”. – A Cultura será uma botija de oxigénio ... ?: -“Prescindo da botija. A Cultura é o oxigénio que na sua plenitude é o elemento principal da vida. Sem oxigénio não há vida. Sem Cultura vegeta-se”. – Que livro anda a ler ... ?: -“O Livro de Cesário Verde”. – Autores e livros preferidos ... ?: -“Todos de Jorge Amado, Ferreira de Castro, Fernando Pessoa, António Gedeão, Bocage e Camões”. – Música e autores preferidos ... ?: -“Clássica, sobretudo Tchaikovsky”. – O filme comercial que mais gostou ... ?: -“O Carteiro”, de Pablo Neruda”. – Sua obra Literária ... ?: -“Mundo de Quimera” (edição do autor) e colaboração na Antologia Poiesis volume V da Editorial Minerva”e vários livros virtuais na “Biblioteca CÁ ESTAMOS NÓS” de que se destacam REDENÇÃO, FRASCOS com gotas de Poesia, O LAGO DOS SONHOS, O BERGANTIM DE CRISTAL, OÁSIS e O PENSAR PROSAICO de pequenos poetas.
E assim falámos de: HUMBERTO VERÍSSIMO SOARES SANTA
Aposentado. Nascido a 31 de Outubro de 1940 e que diz que um filme sobre a sua vida: -"Daria a falência de qualquer produtor, por falta de espectadores".

BEBEDEIRA DE AMOR
 
Bêbado do meu sonho de loucura,
Caído nos devaneios dos abraços,
Mergulho no teu corpo à procura
Do mundo sublime dos teus braços.

Ouço na mansidão das alvoradas
As sedas, no roçar da tua pele.
São doces essas ternas madrugadas
Que bebo no teu corpo feito mel.

Feliz, nadei no lago do amor,
Onde, por ti mulher, me ia afogando.
Mergulhei nesse néctar de licor

E é nele que me vou embriagando.
Fiquei gostando tanto do sabor
Que ainda, nesse amor, estou mergulhando !...

Cotovia,2002-08-09
 
Formato de Carlos Leite Ribeiro
 
 

 

Envie esta Página aos Amigos:

 

 

                                      

 

 

Por favor, assine o Livro de Visitas:

 

 

 


Página criado por Iara Melo