Célia Lamounier

 

 

 Quando perguntámos à nossa entrevistada CÉLIA  LAMOUNIER  de  ARAÚJO, onde ficava Itapecerica e o local para o encontro, simpaticamente a Célia nos disse que ficava no Estado de Minas Gerais (Brasil) e o local para o nosso encontro seria no Tribunal. Perante o nosso espanto, a Célia nos foi dizendo que, o Tribunal era o melhor local para o encontro, pois, se fizesse-mos mau trabalho, logo ficaríamos com processo crime ...
Por vezes na vida de um homem acontecem situações como esta. Razão essa que quando encontrámos a nossa entrevistada, logo lhe perguntámos : - Célia, para você Deus existe ...?: -“Sim, Carlos ! Tenho a certeza de que existe um Criador todo o poderoso, responsável pelo comando de todo este teatro”. Claro que, a ouvir esta palavras tão sentidas de uma advogada, em pleno edifício do Tribunal, a minha alma ficou um pouco mais calma.
Enquanto esperava por uns dossiers que estavam na Secretaria, sentamo-nos num banco comum no átrio do Tribunal e onde conversa puxa conversa, a Célia nos foi dizendo que já tinha feito rádio: - “Durante 3 anos, eu estive no ar (mas com os pés assentes na terra) aos domingos, num programa de 1 hora intitulado “Meia Hora com Célia”. Foi divertido, começou com meia hora e depois passou a ser uma hora pela audiência. Eu conversava, cantava, dava conselhos, fazia crônica, de tudo um pouco. Bons tempos ... A emissora se chamava ZYU-6 rádio difusora de Itapecerica. Hoje temos duas com o nome de Rádio Conquista e a outra Rádio Liberdade. A cidade dividida em dois blocos políticos, antigamente chamados tarecos e papiatas. Outro dia conto mais, pois já me estão a chamar ...”.
Já fora do Tribunal, numa esplanada de um bar no centro da cidade de Itapecerica, começámos propriamente dito, com a entrevista: - “Qual foi o maior desafio que aceitou até hoje ... ?: -“Falar em público nunca me preocupou (sempre fui oradora) mas a primeira audiência judicial me deixou temerosa pela responsabilidade de debater e sair vitoriosa. Mas deu certo”:  - De que mais se orgulha ... ?: -“De ser mulher vitoriosa na vida. Cumpri todas as metas”.  – Para você, o arrependimento mata ... ?: -“Olha Carlos, se matasse não haveria superpopulação”.  – Qual a personagem que mais admira ... : - “Pelo que foi e é hoje: o Papa João Paulo ll”.  – Uma imagem do passado que não quer esquecer no futuro ... ?: -“Meu pai falecido em 1985 devia estar aqui ainda”. – Que influência tem em si a queda da folha e a chegada do frio ... ?: -“Não gosto desta época do ano. Fico desanimada”.  – O dia começa bem para a Célia, se ...?: -“Se existe o gostoso calor e brilho do sol”.  – Qual o cúmulo da beleza, e, da fealdade ... ?: -“Beleza, talvez um surfista saindo de uma onda gigante; fealdade, as intempéries do mundo (enchentes, tornados, catástrofes”.  – Que vício gostaria de não ter ... ?: -“O de falar alto, às vezes”.  – As piadas às louras são injustas ... ?: -“Ferem a igualdade entre louras e morenas, mas são divertidas”. – Como vai você de amores ...?: -“Divorciada em 1981, com três filhos pequenos, o tempo era pouco para trabalhar e criar os filhos. Até agora não encontrei a outra metade. Tive pretendentes mas dizem que não dei chances de aproximação. Fiquei sozinha ...”. – Seus passatempos preferidos ...?: -“Quando criança era nadar. Nas brincadeiras era a Deusa de Joba, nem sei mais o que era isso, um filme creio. Depois, gostava mesmo era de cantar”. – E a sua melhor qualidade, e, seu maior defeito ...?: -“Qualidade, é difícil, mas acho que foi ser autosuficiente, corajosa e forte; maior defeito, ser muito direta e exigente, quase sempre falta-me a diplomacia da convivência”. – Qual a característica que mais aprecia em si, e, nos outros ... ?: -“Em mim, pensar em mim para responder. Sou polivalente, pau de toda a obra, dizem; nos outros, ser sincero. Honesto e correto, é essencial”.  – Quando a Célia era criança ... ?: -“Participava de tudo, extrovertida, inteligente e de família ilustre. Meu pai era dono dos ônibus e eu aprendi a dirigir com 17 anos. Fui expulsa do internato aos 11 anos porque mordi os dedos da Irmã Batistina que tentava me obrigar a comer bolotas de carne ao molho (não comi) e depois no primeiro científico no internato em Belo Horizonte, novamente expulsa porque comunguei sem me confessar. Acho que eu fui terrível. E era por excelência uma líder poderosa. Na segunda série do ginasial conseguimos tirar uma professora da Escola porque deu notas baixas para todos os alunos da classe”.  – E hoje, como se auto-define ... ?: -“Eu ?! Hoje uma senhora sorridente que ainda não se vê velha no espelho do tempo. A idade está só no corpo ... –Carlos ! não esteja com essa cara de gozão, pois o meu espelho nem é mágico !”. – Que género de filme daria sua vida ... ?: -“Se eu quisesse contar daria um romance porém prefiro que seja um documentário apenas”. – Para você, a Cultura será uma botija de oxigénio ... ?: -“Sim, no sentido de que oxigena o cérebro, alarga os horizontes e molda o espírito”. Célia, e se, de repente lhe oferecerem flores ... ?: -“Isso é aconchegante pois gosto mesmo de flores. Mas Carlos, neste momento, preferia um almoço ...”.
E de facto a hora do almoço tinha chegado e nossos estômagos já começavam a “a dar horas”. Fomos a um Restaurante Dom Zé, comer Lombo com abacaxi, acompanhado por sumos de frutas e sobremesa de Pudim (eram tantas as variedade que não sei qual comemos). Enquanto esperávamos pela refeição, a Célia foi-nos falando da sua Itapecerica: -“Moro na cidade de Itapecerica MG Brasil.  Décimo município de MG criado pela Lei de 20.11.1789 com o nome de Vila e município de São Bento do Tamanduá, com 34 distritos hoje cidades. Atualmente a velha Tamanduá se chama Itapecerica, tem a sede, +3 distritos e 40 povoados numa área de apenas 1042km2   Foi chamada de Atenas do Oeste em virtude de suas escolas e os muitos filhos ilustres. Tem lindas igrejas e foi berço de muitos padres.  Umas 500 fotografias podem ser vistas no site www.itapecericamg.cjb.net   Terra com mineração de grafite e de granito, apresenta anualmente a famosa festa do Reinado de N.Senhora desde 1818,  a Praça do Coreto é o ponto central onde se apresentam as Orquestras e o Coral.  Em final de julho tem sempre o Festival de Inverno na Praça da Matriz.  O Hotel Fazenda Palestina distante 1km  é um excelente ponto de encontro bem como também o Hotel Fazenda Capetinga (mais longe) famoso pelas mudas de hibiscus 700 espécies.  Bailes no Clube ACI e   esportesno Clube Campestre”.
E foi neste mesmo restaurante que fizemos a última parte da entrevista: - “Célia, o que é para você o termo Esoterismo ... ?: - Olha Carlos, uma espécie de estudo da influência do mundo sobre nós”. – Acredita na reencarnação ...?: -“Por Justiça deveria existir, para dar chance ao feio de ser bonito, ao doente de ser sadio, ao pobre de viver melhor”. – Você acredita em fantasmas ou em “almas do outro mundo” ?: -“às vezes penso que seria divertido mas não imagino a minha reação”. – O Imaginário será um sonho da realidade ... ?: -“É só abrir vários neirônios e misturar os arquivos, acordada ou dormindo temos a formação do imaginário. Eu me sinto muito bem sonhando”. – Acredita em histórias fantásticas ...?: -“Sim. O nosso cotidiano apresenta algumas”.  – Mudando de tema : - Que livro anda a ler ... ?: -“Ontem estive lendo “As Flores do Mal” e a primorosa edição da Revista do Legislativo: “O Brasil de JK”. – Autores e livros preferidos ...?: -“Não esqueço Canaã de Graça Aranha e recentemente gostei de Cem Anos de Solidão. Sempre li muito, desde criança fui uma devoradora de livros. Os 100 primeiros foram da Edição Melhoramentos, a coleção Biblioteca Infantil + Encanto e Verdade que tenho até hoje (data em livrinho: 1952)”.  – Música e autores preferidos ... ?: -“De seresta para cantar; boleros, tangos e quase toda melodia. Gosto de dançar também”. – O filme comercial que mais gostou ... ?: -“Comercial? “Cobertores Paraiba”, da década de 60”. – Para finalizar, vamos falar de sua obra literária ...?: -“Livros: “Entardecer de Lágrimas” (100 páginas – 1978 – poesias escritas em 1964) - ;- “Sirgas e Organins” (180 páginas – poesias de 1986) -;- “Itapecerica” (antologia histórica – 190 páginas – 1993) -;- “Passo a Passo” (poesias – 50 folhas – 1998) -;- “Dicionário dos Padres de Tamamduá / Itapecerica” (2001) . Editora de vários jornais. Posso ser encontrada na Internet, em : www.celialamounier.hpg.com.br  . Antes que me esqueça: Sou Presidente da Academia Itapecericana de Letras e Cultura – fundada em 29.12.80 ; e sócia de várias outras”.
E a entrevista estava feita, mas ... Já no ônibus para Belo Horizonte e quando este começava a andar, uma senhora começou a bater na porta do autocarro, chamando a atenção do motorista. Este parou o carro e a Célia entrou com uma fotografia na mão que me entregou, dizendo : - “Carlos, esta foto é mais bonitinha do que a outra, pois até tem moldura ...”.
E assim falámos de: CÉLIA  LAMOUNIER  de  ARAÚJO

Advogada, nascida a 19 de Julho de 1943

 
Do livro Passo a Passo  de
Célia Lamounier de Araújo 1998

Poema  3

De joelhos me deixo
silenciosamente
a conversar com Deus
na magia da cor
na dádiva da flor
natureza infinda
chave da vida
mundo a renascer
a recriar
desconhecido imenso
misteriosamente
perfeitamente
comandado.

.......

Publicado no  Cahier JALONS 70
2.º trimestre/2001 -  Vichy -  França
Por Jean Paul e Christiane Mestas
Passo a Passo 3
Je me mets à genoux
em silence
pour  m’entretenir avec Dieu
de la magie de la couleur
de lart de la fleur
nature infinie
clef de la vie
monde à renaitre
à recréer
vaste inconnue
mystérieusement
parfaitement
gouvernée.

 

Formato de Carlos Leite Ribeiro – Marinha Grande - Portugal
 
 

 

Envie esta Página aos Amigos:

 

 

                                      

 

 

Por favor, assine o Livro de Visitas:

 

 

 

 

Todos os direitos reservados a Carlos Leite Ribeiro
Página criado por Iara Melo
http://www.iaramelo.com