A Maçã, de

 

Carlos Leite Ribeiro

 

 

 

E eu aqui metida nesta ambulância, cheia de dores.

Nunca mais chegamos ao hospital ! e tudo começou por causa de uma maçã!...

 

Era eu pequenita e andava na escola primária, e, no trajecto de regresso à minha pobre casa, passava sempre pela frutaria do pai do Artur.

 

Naquele dia, num dos expositores que ficavam em cima do passeio, estavam em exposição uma belas e lustrosas maçãs. Os meus pais eram pobres e eu já há muito que não comia fruta.

Parei extasiada a admirar as maçãs. Tive a tentação de roubar uma, mas hesitei. Foi quando atrás de mim apareceu o Artur, que me disse:

"Ana, estas maçãs devem ser muito saborosas!...".

"Sim ! devem ser uma delícia, Artur ..." - respondi eu ao meu colega de escola.

"Porque não compras uma ?!" - perguntou-me o Artur.

"Olha, porque não tenho dinheiro. Bem sabes que os meus pais são muito pobres" - disse-lhe já quando me afastava.

No outro dia, na hora do recreio, o Artur abeirou-se de mim, e, timidamente, entregou-me um saco de papel, dizendo:

"Toma, isto é para ti, Ana".

Curiosamente, rasguei o saco e, lá dentro estava uma bela e lustrosa maçã!

As lágrimas saltaram-me e tive vontade de o abraçar.

Mas o Artur já se tinha retirado ...

 

Durante anos, o Artur sempre me presenteou com saquinhos de papel, tendo lá dentro sempre uma maçã.

E, por causa da maçã, um belo dia casamos; e, também por causa da maçã, vou aqui dentro desta ambulância a caminho do hospital, onde conto dar à luz o nosso primeiro filho.

 

Uma maçã dada pela Eva, dizem que atrapalhou o Adão; e uma maçã dada pelo Artur, está a atrapalhar-me e dar-me muitas dores.

Mas dentro em pouco o fruto do nosso grande amor nascerá, e, tudo voltará à normalidade.

 

E tudo isto por causa de uma maçã !!!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Formatação: Iara Melo

 Recomende

Voltar

 

 

Copyright © Carlos Leite Ribeiro  Web  Page

Todos os Direitos Reservados